• Equipe NeuroVox

Filhos trazem infelicidade?

O que nos diz a ciência sobre a felicidade (on infelicidade) causada pela decisão de ter filhos?



Quando perguntamos a um pai ou uma mãe se filhos fazem parte importante de suas vidas, a maioria responde "sim". Mas nem todos. O que, afinal, nos diz a ciência sobre essa importante e delicada questão?


Neste novo vídeo do canal NeuroVox, o Prof. Pedro Calabrez explica que a felicidade ou infelicidade proporcionada pelos filhos depende do que você chama de felicidade, e de como você encara a felicidade em sua via. Assista ao vídeo abaixo, ou clicando aqui. Abaixo você encontra, também, as referências e recomendações de leitura para o vídeo.




Referências e Recomendações de Leitura:


1) O gráfico apresentado no vídeo é uma adaptação do livro:

Gilbert, D. (2009). Stumbling on happiness. Vintage Canada.


2) A satisfação com o casamento é reduzida a partir do nascimento do filho, retornando aos seus níveis mais elevador somente após os filhos saírem de casa:

Diener, E., Wirtz, D., & Oishi, S. (2001). End effects of rated life quality: The James Dean effect. Psychological science, 12(2), 124-128.


3) O período de "ninho vazio" apresenta melhores níveis de satisfação do que quando os filhos moram em casa:

Robinson, M. D., & Clore, G. L. (2002). Belief and feeling: evidence for an accessibility model of emotional self-report. Psychological bulletin, 128(6), 934.


Levine, L. J., & Safer, M. A. (2002). Sources of bias in memory for emotions. Current Directions in Psychological Science, 11(5), 169-173.


4) Esse padrão descreve melhor mulheres, devido à dupla jornada (que inclui o cuidado em relação aos filhos) tipicamente ser feminina:

Robinson, M. D., & Clore, G. L. (2002). Episodic and semantic knowledge in emotional self-report: evidence for two judgment processes. Journal of personality and social psychology, 83(1), 198.


5) No dia-a-dia, mães apresentam maior satisfação com outras atividades mais do que com o cuidado dos filhos:

Robinson, M. D., Johnson, J. T., & Shields, S. A. (1998). The gender heuristic and the database: Factors affecting the perception of gender-related differences in the experience and display of emotions. Basic and Applied Social Psychology, 20(3), 206-219.


6) Estudos do Daniel Kahneman que embasam a metodologia de acompanhamento do dia-a-dia como adequada para pesquisas sobre felicidade:

Kahneman, D., Krueger, A. B., Schkade, D. A., Schwarz, N., & Stone, A. A. (2004). A survey method for characterizing daily life experience: The day reconstruction method. Science, 306(5702), 1776-1780.


D. Kahneman, in Well-being: The foundations of hedonic psychology., D. Kahneman, E. Diener, N. Schwarz, Eds. (Russell Sage Foundation, New York, 1999), pp. 3-25.


7) TED do Daniel Kahneman falando dos dois "eus":

https://youtu.be/XgRlrBl-7Yg


8) Livro do Daniel Kahneman mencionado no vídeo:

Kahneman, D. (2012). Rápido e devagar: duas formas de pensar. Objetiva.

9) Outro estudo que utiliza a metodologia do dia-a-dia para analisar felicidade, e mostra que cuidar dos filhos é uma atividade pouco satisfatória (neste caso, apenas um pouco mais satisfatória do que as tarefas do lar):

Killingsworth, M. A., & Gilbert, D. T. (2010). A wandering mind is an unhappy mind. Science, 330(6006), 932-932.


10) Vídeo mencionado (Cérebro e Gratidão):

https://youtu.be/sWXbO5YpZQg

0 visualização

NeuroVox News

Psicologia e Neurociências, por Pedro Calabrez

contato@neurovox.com.br

  • Facebook NeuroVox
  • Instagram NeuroVox
  • YouTube NeuroVox

© 2020 NeuroVox - Todos os direitos reservados.