• Equipe NeuroVox

Pessoas otimistas tendem a viver mais, aponta estudo

Pesquisa mostrou que pessoas otimistas tendem a viver mais do que as pessimistas, ultrapassando os 85 anos de idade.


"Se o otimista é um imbecil feliz, então o pessimista é um imbecil infeliz", disse o escritor francês Bernanos. Muitas pessoas se orgulham do próprio pessimismo. Outras muitas não se dizem pessimistas, mas preferem se autointitular realistas, em vez de otimistas.


Um estudo publicado recentemente na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences, popularmente conhecida como PNAS, buscou verificar os possíveis benefícios associados ao otimismo. Para isso, foram analisados os dados de mais de 70.000 participantes, nos Estados Unidos.


Os resultados demonstraram que pessoas otimistas apresentaram maior longevidade, vivendo em média 11 a 15% mais tempo do que pessoas pessimistas. Homens que se autointitularam "muito otimistas" apresentaram 70% maior chance de ultrapassar os 85 anos de idade, enquanto mulheres "muito otimistas" tiveram 50% maior chance de passar dessa mesma idade.


Na análise estatística, os pesquisadores verificaram que esse efeito ocorreu independentemente de status socioeconômico, condição de saúde prévia, presença ou não de depressão, nível de interações sociais, e presença ou não de comportamentos saudáveis (ex.: não fumar, alimentação, atividade física).


Ainda não é perfeitamente clara a razão por trás dessa associação entre longevidade e otimismo. Apesar disso, os pesquisadores acreditam que uma possível resposta é o fato de que pessoas otimistas têm maior confiança e habilidade para estabelecer (e conquistar) seus objetivos de vida. Isso, por sua vez, pode promover hábitos saudáveis e aumentar a resistência contra impulsos prejudiciais à saúde, além de permitir melhores tomadas de decisão, resolução de problemas, e correções e ajustes quando objetivos não são atingidos.


Segundo os autores, os resultados sugerem que o otimismo pode ser um importante recurso psicossocial para extender a longevidade em adultos de maior idade.


Estudo original:


Lee, L. O., James, P., Zevon, E. S., Kim, E. S., Trudel-Fitzgerald, C., Spiro, A., ... & Kubzansky, L. D. (2019). Optimism is associated with exceptional longevity in 2 epidemiologic cohorts of men and women.Proceedings of the National Academy of Sciences,116(37), 18357-18362.


Link para o artigo completo: https://www.pnas.org/content/116/37/18357

521 visualizações

NeuroVox News

Psicologia e Neurociências, por Pedro Calabrez

contato@neurovox.com.br

  • Facebook NeuroVox
  • Instagram NeuroVox
  • YouTube NeuroVox

© 2020 NeuroVox - Todos os direitos reservados.